Atunorpi é a única com 100% de participação em pesquisa sobre impactos da Covid-19 no turismo do Paraná

Assessoria Atunorpi

A Associação Turística do Norte do Paraná (Atunorpi) foi a única dentre as 14 IGRs (Instâncias de Governanças Regionais) a obter 100% de participação na coleta de dados em pesquisa realizada pelo Conselho Paranaense de Turismo (CEPATUR). A pesquisa, entretanto, realizada entre os dias 20 de maio e 3 de junho, representa uma visão do setor pelos órgãos oficiais de turismo no estado do Paraná.

Contudo, a Sondagem dos impactos da Covid-19 no setor de turismo do Paraná é o tema da pesquisa realizada pelo CEPATUR. Primordialmente os 16 municípios do Norte Pioneiro responderam os questionamentos. 55% dos entrevistados na pesquisa em todo o Paraná, apontam que o turismo é muito importante. Outros 43% classificaram como importante.

Entretanto, 34% classificaram que a importância se deve principalmente pela quantidade de atrativos naturais e culturais. Outros 33.7% disseram que é importante pelo fluxo de visitantes. Contudo, em 34.7% dos municípios os atrativos públicos estão todos fechados. Em 27.7% os atrativos privados estão parcialmente fechados.

Um dos dados importantes da pesquisa é que dentre todos pesquisados no estado, 30.5% informaram que mesmo durante a pandemia, ainda existe fluxo turístico nos municípios. 61.3% funcionam com até 20% em relação ao mesmo período de 2019. Quanto a perspectiva para o desenvolvimento do turismo nos municípios, 46% classificou como boa, 20% como excelente, 22% como regular e 12% como baixa.

Segundo a pesquisa, a área com maior porcentagem de atendimento ainda que com restrições é a de alimentação, com 79.5%. Na área de hospedagem, 69.5% estão atendendo com restrições. Já na área de entretenimento e lazer, 45.8% estão totalmente fechados.

Entretanto, todos estabelecimentos que permaneceram abertos, 44% intensificaram a divulgação nas redes sociais e 18% fizeram promoções nas redes sociais. Em 53% dos casos pesquisados, os preços praticados foram mantidos. Apenas 7% confirmaram o aumento dos preços.

Contudo, um dado que é preocupante é que de todos estabelecimentos pesquisados, 43.7% já realizaram demissão. 50% acreditam que o turismo irá ser uma opção para ajudar na economia local. 47% dos pesquisados acreditam que as atividades devem retornar à normalidade no primeiro semestre de 2021.

Visto que 15% acreditam que as atividades voltem ao normal ainda no segundo semestre deste ano e outros 15% que voltem somente no segundo semestre de 2021. Outros 23% não souberam avaliar. 56% das IGRs tem dado apoio aos municípios com informações, 11% com divulgações dos atrativos e estabelecimentos e 10% com capacitação online.

No entanto 86.3% dos pesquisados afirmaram que antes da pandemia, os municípios realizavam eventos acima de 100 pessoas. 36% disseram em eventos populares, 22.8% em shows, 14.1% em eventos agropecuários, outros 14.1% em eventos de indústria comércio e serviços, 5.3% em eventos técnico-científicos, 3.6% em eventos na natureza e 4.1% em outros tipos de eventos.

55% dos gestores apontaram que a pesquisa realizada pelo CEPATUR é muito importante. Outros 43% classificaram como importante. Algumas das ações para retomada das atividades destacadas na pesquisa são: Capacitação com respeito aos protocolos da prevenção e controle do COVID-19; Selo municipal que sinalize o respeito aos protocolos de combate ao COVID-19; Ações de fortalecimento de medidas sanitárias e preparação para a volta segura e gradativa das atividades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *